quinta-feira, 10 de janeiro de 2008

SONHO, FANTASIA OU REALIDADE

Após uma boa noite de sono alguém acordava daquilo que parecia um sonho, no seu rosto podia-se ver um SORRISO, pois tudo parecia tão belo que só podia ter sonhado, não lhe parecia realidade, no entanto o “maldito” despertador voltava a tocar, ele não o havia desligado, e as horas estavam passando e as questões se teria sido um sonho ou uma fantasia iam ficando de lado. Pois já se fazia um pouco tarde e ainda tinha de se lavar, tomar um pequeno almoço rápido e correr para o trabalho.
Mas naquela mente tudo parecia confuso, teria sido um sonho?, seria uma fantasia?
Bom, mas o tempo urgia e ele não podia continuar pensando em mais nada, no entanto mantinha aquele SORRISO em seu rosto, e após se arranjar meio ás pressas, resolveu que havia de tomar o seu pequeno almoço na rua, hoje seria diferente, afinal, sentia-se diferente, algo o fazia sentir diferente, mas não sabia o que era, só sabia que algo em si se manifestava sem saber bem o que era, algo o fazia SORRIR e sentir-se tão bem com a vida que pouco ou nada se importou se iria gastar dinheiro em um pequeno almoço fora de casa, afinal queria sair logo e enfrentar este novo dia que lhe parecia diferente de todos os outros.
Ao sair de casa logo aí, seu vizinho o cumprimentou com o SORRISO no rosto e lhe perguntava ao mesmo tempo que afirmava:
Que lindo dia não acha, meu amigo?!
Sim, está lindo mesmo.
Seguindo caminho e sempre com aquele SORRISO em seu rosto, reparava que muitos que cruzavam com ele na rua, o olhavam, e SORRIAM também.
Ao que se questionava para si mesmo:
O que se passará, todo o mundo parece estar diferente.
Sem pressa e chegado ao Café, dirigiu-se ao balcão para pedir umas torradas e um café com leite, dando logo um bom dia muito sorridente, do balcão o empregado SORRINDO respondeu-lhe:
Bom dia, senhor, é para já, pode sentar-se.
Enquanto esperava pelo seu pequeno almoço sentado numa mesa da esplanada, ia reparando que todos ali lhe pareciam SORRIR e muito bem dispostos.
Entretanto entrou uma senhora já com alguma idade, que lhe sorriu muito e o cumprimentou com um SORRISO nos lábios.
Ao que ele respondeu com um grande bom dia, mas ficou pensando para ele mesmo que seria aquela senhora, tão simpática?
De onde será que a conheço? – pensou ele.
De repente o empregado chegou perto da sua mesa e lhe trazendo o seu pequeno almoço, exclamou:
Que lindo dia, não acha?
Sim, sim, está lindo, lindo demais mesmo.
Sabe?, hoje sinto-me particularmente FELIZ, e olho as pessoas na rua e vejo-as todas sorridentes, até mesmo aqui no Café, não sei explicar, tudo parece diferente hoje.
O empregado respondeu-lhe:
É realmente hoje parecem todos muito FELIZES, eu por exemplo quando me levantei hoje senti-me estranho e com uma enorme vontade de SORRIR como nunca me havia acontecido, mas parece que não sou o único, o senhor também.
Sim, sim, foi exactamente isso que me aconteceu.
Senão veja ali, aquela senhora que entrou ainda agora, é a D. Maria, ela sempre vinha aqui com seu marido, ambos eram muito alegres e eram um casal tão lindo e simpático, mas desde que ele faleceu, ela nunca mais SORRIU, mas hoje entrou aqui com um SORRISO lindo, até parece que o Sr. Gabriel voltou.
Como?
Disse Gabriel?
Sim senhor, foi esse o nome, porquê?
Não sei, mas parece que já ouvi falar, e até a cara da senhora não me é desconhecida, mas não sei de onde.
Talvez seja daqui senhor!
Não, não tenho a certeza que não.
Bom, então não sei, mas olhe desculpe tenho de ir atender outros clientes.
Claro, concerteza, olhe foi um prazer falar consigo, e sabe de uma coisa?, a sua cara também não me é desconhecida, mas não sei de onde, pois daqui não é, esta é a primeira vez que entro neste Café.
Estranho!!!
Sim, mas olhe eu também acho que já vi o senhor em algum lugar, mas até estava com receio de o dizer, não fosse o senhor achar-me muito metido, sabe…, primeiro achei que fosse daqui, mas realmente não é, mas olhe adorei falar consigo, e espero que volte sempre.
Passado algum tempo e após tomar o seu pequeno almoço e pagar, levantou-se e saiu indo em direcção da paragem de autocarro para seguir para o trabalho, chegado lá, viu com que também aí todos SORRIAM, apesar da fila enorme que ali se fazia à espera dos autocarros, as pessoas pareciam estar FELIZES, ao contrário do que era costume.
Mais tarde e já no autocarro o motorista cumprimentou-o dando-lhe os bons dias com um SORRISO.
Em pensamento disse para si próprio:
Que estranho, até o motorista, dando os bons dias?, e sorrindo?!
Mas o estranho já lhe parecia ao mesmo tempo algo comum, pelo menos por até ali ao autocarro.
Já chegado ao trabalho e SORRINDO deu os bons dias aos seus colegas, e qual foi o seu espanto quando todos o cumprimentavam também SORRINDO.
O dia já ia longo, quando parou um pouco para ir almoçar.
Como sempre ele levava consigo o almoço, pois havia que poupar, e dirigindo-se para um jardim ali perto foi abordado por um senhor.
Então como está?, não se lembra de mim?
Não, mas a sua cara não me é estranha.
Claro senhor Marco, sou auxiliar da administração onde o senhor trabalha, e hoje vi o senhor tão SORRIDENTE que até me cumprimentou, que achei que poderia me sentar aqui consigo para também almoçar aqui no jardim no mesmo banco, pois normalmente costumo almoçar aqui, mas no banco noutro banco.
Mas porquê?, porque não vem almoçar aqui junto comigo?
Nossa, eu nunca me atreveria, o senhor costuma estar sempre tão distante de todos que eu me sentiria até mal em me sentar no mesmo banco, mas hoje vi que está diferente, aliás eu também, acho que anda algo no ar, pois hoje já vi tanta gente SORRINDO que nunca vejo.
É eu também, rss… até eu, rss…, estranho, mas sabe mais estranho ainda é que hoje vi algumas pessoas que quase juraria que já estive com elas mas na realidade não estive, estranho, mesmo não acha?
Sim realmente, mas às vezes isso acontece, por vezes temos aquela sensação de dejá vu
Sim, mas não era isso, é algo diferente, e olhe nem sei como explicar, só sei que hoje desde que acordei, tudo parece estar diferente.
Rss.., é talvez…
Bem, vou tomar um cafezinho, quer vir?
Quero sim, obrigado.
Chegados ao Café, eis que Marco repara que numa mesa estava um jovem de cor muito FELIZ que o cumprimentou, ele fez o mesmo, mas achou estranho, quem seria aquele jovem?, pouco depois viu chegar um outro jovem àquela mesa que se debruçando beijou o outro. Marco olhando SORRIU, mas mais uma vez parecia conhecer aqueles dois, foi aí que o seu colega de trabalho lhe disse, são o Manuel e o Alexandre senhor, também trabalham lá, são nossos colegas.
Mas…, não, não pode ser, eu já os vi noutro lado, eu os conheço de outro lado.
Talvez… - respondeu o colega ao Marco.
Já no trabalho e algumas horas depois, Marco passa por uma secretária de um colega a quem cumprimenta e repara num porta-retratos, e reparando no retrato sente que conhece a cara, e perguntando ao colega quem é, este responde-lhe:
É meu pai, já faleceu, ele trabalhou muitos anos aqui Marco, não te lembras?, ele trabalhava lá em baixo na portaria.
Nossa, me lembro agora sim, seu nome era….
Gabriel! – responde-lhe o colega.
Marco envergonhado pede-lhe desculpas por não se lembrar do seu pai, ao que o colega lhe responde.
Não faz mal, tu sempre andas muito ocupado, mas hoje estás estranho, digo, diferente, estás SORRINDO, pareces minha mãe que hoje também está assim, e já fazia algum tempo que não a via assim.
Tua mãe chama-se Maria?
Sim, como sabes?
Via-a hoje quando estava a tomar o pequeno almoço, num Café relativamente perto de minha casa, e o empregado de mesa me disse o nome dela, pois achei estranho ela me falar e eu não conhecer, mas também hoje tudo parece diferente, em especial eu.
Rss…, talvez, mas olha mudas-te para melhor, fica-te bem esse SORRISO.
Naquele momento e estando os dois conversando, alguém chama-os a atenção:
Olhem vem lá o senhor João.
Quem?
O chefe…
Nossa, estamos feitos, agora é que o dia vai ficar ruim.
Mas para espanto de todos João, um homem carrancudo e sempre desconfiado de tudo, entra e dá-lhes uma boa tarde todo sorridente, deixando-os a todos espantados e quase sem fala.
Bom tarde, meus amigos, então como foi essa manhã?, eu não vim porque passei a manhã toda numa reunião que supostamente deveria ser chatíssima, mas que acabou por se tornar uma reunião bastante proveitosa e até mesmo bastante alegre, estávamos todos hoje muito bem dispostos, o que até estranhei, pois quase sempre que temos estas reuniões parece que fica tudo mal disposto, mas olhem correu lindamente bem.
Enquanto isso os outros ainda estranhavam mais, pois não era habitual o senhor João sorrir e muito menos dizer onde tinha estado, aliás ele nunca sorria e muito menos dizia o que havia estado a fazer.
Mas Marco, olhando o chefe sentiu algo ainda mais estranho, pois aquela cara não lhe era estranha e não era dali do seu trabalho, ele já havia visto aquele homem, o seu chefe em algum outro lugar e até já o havia visto sorrir, no entanto achava ao mesmo tempo estranho essa sensação, e ao contar isso aos colegas, estes olharam-no e lhe disseram, bem já não acha-mos estranho quase nada hoje, com toda a gente bem disposta e a SORRIR, até tu e o chefe?, Rss…
Marco sorrindo olhou-os e disse:
Sim, realmente têm razão.
Já ia tarde e o dia de trabalho estava a terminar e todos começavam a se preparar para regressar a casa.
Ao regressar a casa Marco ia-se lembrando deste dia maravilhoso que havia sido, e de como há muito tempo não se lembrava de ver tanta gente linda e sorridente, e de como todos estavam mais simpáticos e até parecia que não existiam problemas, lembrou então que havia até o próprio sol parecia ter brilhado mais como nunca e como a Mãe Natureza era bela lhe proporcionando um dia tão maravilhoso que tudo mais parecia um SONHO – mas seria?
Naquele exacto momento desabou uma enorme chuva que ia alagando tudo e todos, mas mesmo assim, e e esperando de novo o autocarro junto a tantos outros, ele SORRIA e via que o mesmo faziam os outros e até brincavam com a repentina mudança do tempo, alguns pulavam entre as pequenas poças e algumas crianças chapinhavam mesmo nas poças e alegres se deixavam levar por aquele contagiante bom humor de todos. Tudo isto para Marco era novo e ao mesmo tempo tudo parecia familiar, Marco continuava a olhar o mundo que o rodeava com uma certa estranheza, pois seria SONHO, FANTASIA ou REALIDADE tudo isto que estava a viver. Chegado o autocarro, ele o apanhou e entrou e deu as boas tardes com um SORRISO e recebeu logo um cumprimento tão efusivo do motorista, que olhando para ele lhe disse senhor gostou do seu dia?, Marco olhou-o e reparou que era o mesmo motorista de autocarro que ele havia apanhado de manhã, e lhe perguntou:
Mas você novamente?, não devia estar a descansar?
Devia, sim, mas um colega meu que faz este percurso à tarde não pode então eu me ofereci para o fazer, e como consegui descansar um pouco na hora de almoço não há perigo, estou bem desperto para a estrada por isso me ofereci, e também porque umas horas extras vão me ajudar muito no final do mês, sabe como é, nos dias que correm temos de por vezes fazer alguma coisa mais para receber um pouco mais para o sustento, pois tenho uma família grande. Mas ainda não me respondeu?, então seu dia foi bom?
Sim, sim, foi maravilhoso e muito alegre, hoje tudo parecia diferente, todos SORRIAM, e pareciam FELIZES e isso se transmitia até pelo ar que respirava, entende-me?
Claro senhor, mas será que foram os outros ou o senhor que estava hoje diferente e via as coisas diferentes?
Como assim?
Digo, será que seriam os outros que estavam diferentes, ou seria o senhor que hoje acordou mais FELIZ e SORRIDENTE pronto para mais um dia?
Olhe não pensei nisso, não mas acho que eram todos, senão veja até você me deu os bons dias hoje…
Mas senhor eu sempre lhe dou os bons dias, sempre o cumprimento, mas o senhor parece sempre tão compenetrado em si que por vezes não repara nesse meu bom dia.
Nossa me desculpe.
Não tem o que se desculpar, mas olhe continue assim, vai ver que assim verá todos os seus dias maravilhosos ou pelo menos melhores.
E com esta conversa o autocarro chegava ao destino do Marco, quando ia a sair voltou-se para o condutor e lhe disse então até amanhã, ao que o o condutor lhe respondeu com um SORRISO e:
Deus e os Anjos o abençoem sempre senhor Marco.
E o autocarro seguiu caminho desaparecendo pelo meio do transito.
Marco ficou lembrando as palavras daquele homem simples, seria que era ele que estava diferente mesmo ou seriam todos?
A chuva já havia parado e no horizonte começava a delinear-se um arco íris, Marco olhou e e naquele momento pareceu-lhe ver um LUZ brilhante perto do arco íris,, olhando melhor Marco reparou que da LUZ parecia salientar-se uma silhueta de Um Ser, e caminhou seguindo para onde lhe parecia que o arco íris nascia, e olhando de vez em quando melhor via que no meio estava aquela LUZ e cada vez estava mais brilhante, foi aí que viu nitidamente que era sim, a silhueta de UM SER, que parecia reconhecer, mas quem era? – perguntava ele a si mesmo, seria ilusão?, não não era ilusão Marco se aproximou um pouco mais e olhando melhor viu Aquele Ser sorrindo para ele, e logo depois desaparecer.
Marco voltou para casa e ficou pensando naquele Ser e de como o havia reconhecido, e SORRINDO dizia, obrigado meu PAI, agora sei que fui visitado por ti, agora entendo o meu dia de hoje um pouco melhor, TU estavas junto a mim.
Naquele momento ouviu uma voz:
Marco, meu filho, sempre estou junto a ti, sempre estive, nunca te deixei desde o dia em que nasces-te, és meu filho e um pai nunca deixa seu filho sozinho, mas agora vai para casa e descansa, pois tiveste um dia cheio de trabalho e precisas descansar.
Marco assim o fez e chegado a casa sentiu um sono enorme, comeu qualquer coisa deitou-se logo em seguida, e adormeceu.
De repente ouviu uma voz:
Marco, então hoje não te levantas?
Nossa ainda agora me deitei, ei mas quem és tu?, que fazes aqui na minha casa?, como entras-te?
Marco!!!
Que te aconteceu jovem?, não estamos em casa, estamos no acampamento, não te lembras?, e temos de continuar nossa caminhada, não podemos ficar aqui sempre, temos de seguir caminho, já todos fizeram suas mochilas e só faltas tu, anda que te ajudo.
Marco olhando reconheceu aquela cara, era a do motorista, e SORRIU
Estaria Marco SONHANDO?, FANTASIANDO OU ERA REALIDADE!!!


Álvaro Gonçalves



Meus queridos Anjos, esta jornada, é uma jornada sem fim e deve ser seguida por todos com o CORAÇÃO e a ALMA, hoje e sempre. Tendo sempre em conta a evolução de cada um. É uma caminhada que deve ser feita com muita UNIÃO, AMOR, HARMONIA e com um SORRISO nos lábios mesmo que haja pedras em nosso caminho, elas não devem ser tomadas como coisas más, mas um caminho para nos ensinar a melhorarmos cada vez mais o nosso ser interior e a nossa vida.
Beijos em vossos corações que AMO!!!

11 comentários:

Marta disse...

Tudo faz sentido quando se sorri, mesmo que não haja uma razão aparente...
Tal como diz Mário Quintana sobre o poema...
O teu texto é um poema que ficará aqui no meu coração...
Beijos e abraços...
Marta

por uma lágrima disse...

É reciproco...
Não tenho escrito por falta de tempo, mas vocês mantêm presença constante no meu coração
Beijo com mt carinho

Daniel Aladiah disse...

Caro Álvaro
Um sorriso faz milagres, não é fantasia, não é sonho, mas a realidade se quisermos.
Um abraço
Daniel

Anónimo disse...

Abraças o mundo a sorrir

E com teu olhar sedutor

Encantas a todos os que olhas

E soltas um grito de amor.



Teu olhar chama por mim

E eu me aproximei

Foi quando vi teu corpo

E logo ali chorei.


Teu corpo tinha asas

E uma delas estava quebrada

Mas com o abraço que te dei

Ela ficou curada.


Foi então que percebi

A mensagem que trazias

ABRAÇA O MUNDO A SORRIR

E PODES SALVAR UMA VIDA...

Carla Granja


Gosto deste poema que fiz e te ofereço
bom domingo
bjo
paixoeseencantos

Menina do Rio disse...

Estive um tempo sem Pc e acho que me atrasei nos votos de um novo e feliz ano, mas quero deixar-te meu carinho e agradecer por tua presença em meus dias.

Um ano de amor, sabedoria , indulgência, humildade e discernimento a todos nós!

Marlene Maravilha disse...

Querido Alvaro!
Quantas saudades!!! Obrigada pelo teu carinho! Eu espero retornar brevemente. Neste momento passo por problemas que defini como técnicos, e logo resolveremos as pendências! Para mim, o importante é estares bem!!!
Deus te abençoe!

cõllybry disse...

Vezes há que o sonho se confunde com a realidade...um sorriso faz toda a diferença...belo texto querido amigo...

Doce meu beijo

Um Momento disse...

Meu Querido Amigo do meu Coração...
Sorrio-te abraçando-te pois estás sempre presente no meu pensamento, no meu coração
ESpero que estejas bem!!!
As tuas palavras tocam-me profundamente e sinto que algo...
Mas como tu dizes... não vou falar... sente-me
Aqui estamos , unidos , de mão dada , num sorriso...

Abraço-te Muito FORTE!!!!!

Beijo abraçado a ti, ao teu ser... que estimo e respeito e acima de tudo nutro o meu maior carinho , no amor da Amizade de coração
Força Amigo meu, MUITA FORÇA!!!

(*)

um sonho disse...

a felicidade está tão perto de nós e vamos sempre procurá-la tão longe...

um beijo doce e um sorriso

soliletras disse...

Passei mais uma vez aqui e embora não tenha percebido tudo fiquei com a ideia de que todos os dias a gente se devia tornar melhor. Não é?

Um abraço meu amigo

Rosana disse...

Álvaro, meu lindo que coisa mais intensa, profundo, realmente do fundo da alma.
Sua sensibilidade é de tamanha verdade, que me emociona. Parabéns por ser como é...beijusss nno teu coração...Rosana Buarque

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...